17 de janeiro de 2016

Homenagem ao amor cortês

A mulher capaz de soterrar n'alma os seus tesouros, perdendo-os até para si mesma, é a única capaz de cultivar em seu eleito, para quem seus olhos são mapas inacabados, o desejo de dia a dia compulsá-los, revolvendo seus mistérios até jamais decifrá-los. Pois quanto mais busca nela o que sem ela nada será, mais desencontra o eleito, na eleitora, os tesouros que somente assim prezará. Bem-aventurada a mulher capaz de não possuir o homem que tem, e bem-aventurado o eleito que n'alma dela, e somente por ela, é alguém.

Nenhum comentário:

Postar um comentário