16 de outubro de 2016

Antibiblioteca

"Umberto Eco dividia os visitantes de sua biblioteca pessoal (cerca de 40 mil volumes) em duas categorias: os que reagem com "Uau, quantos livros senhor tem! Quantos desses o senhor já leu?", e os outros - uma pequena minoria -, que entendem que uma biblioteca particular não é um apêndice para elevar o próprio ego, e sim uma ferramenta de pesquisa. Livros lidos são muito menos valiosos que os não lidos. A biblioteca deve conter tanto das coisas que você não sabe quanto daquelas que você se esforça para não esquecer. Você acumulará mais conhecimento e mais livros à medida que for envelhecendo, e o número crescente de livros não lidos nas prateleiras olhará para você de modo ameaçador. Na verdade, quanto mais você souber, maiores serão as pilhas de livros não lidos. De maneira que a verdadeira alma de uma biblioteca pessoal é a antibiblioteca que a sustém".

Adaptação de um trecho de Nassim Nicholas Taleb, contido em sua obra "A lógica do cisne negro".



Nenhum comentário:

Postar um comentário